Amores que ficam…

Gosto de histórias de amor. Das verdadeiras. E esta só pode ser uma dessas. Wallace Hartley morreu enquanto o Titanic se afundava em Abril de 1912. Reza a história que nunca deixou de tocar o seu violino até o navio ficar submerso e haveria de ser encontrado, dez dias depois do fatídico acidente, abraçado a uma caixa que o guardava. O violino, um presente da sua noiva Maria Robinson, foi devolvido à própria depois de o recuperarem e, quando Maria morreu em 1939, foi entregue a uma organização do Exército e depois a uma família que o guardou num sótão. Agora, 101 anos depois do naufrágio, o violino foi finalmente certificado. Foram precisos sete anos, mas uma dedicatória numa pequena placa de prata valeu-lhe a autenticação: “Para Wallys, por ocasião do nosso noivado. Maria”. Será que ainda existem amores assim?

Anúncios

Your point of view!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: